Logo Posto Hoje

INFORMAÇÃO E SERVIÇOS PARA POSTOS DE COMBUSTÍVEIS

POSTO HOJE É ENVIADA SEMANALMENTE A DIRIGENTES DE POSTOS DE COMBUSTÍVEIS E LOJAS DE CONVENIÊNCIA

14/06/19

 

Petrobrás tem oferta de US$ 1 bi por áreas e recebe R$ 33 bi da TAG

 

A Petrobrás recebeu propostas para os polos de produção de petróleo de Pampo e Enchova, na bacia de Campos. As ofertas superam US$ 1 bilhão, segundo informou a estatal. A candidata principal seria a Trident Energy, com sede em Londres, segundo fonte do setor. Procurada, a empresa não respondeu a pedido de entrevista. Já a Ouro Preto preferiu não comentar. Na quinta-feira, 13, a petroleira também informou que a venda de 90% de sua subsidiária Transportadora Associada de Gás (TAG) para a franco belga Engie e o fundo canadense Caisse de Dépôt et Placement du Québec (CDPQ) foi concluída, com o pagamento de R$ 33,5 bilhões. Do valor total da transação, aproximadamente R$ 2 bilhões foram à liquidação da dívida da TAG com o BNDES. Já a Engie informou que o engenheiro Gustavo Labanca será o novo presidente da TAG. Ele atuava como diretor de desenvolvimento de negócios da Engie Brasil e foi um dos líderes do processo de aquisição da TAG. A Engie destacou que a transação é um passo importante na abertura em curso do segmento de gás natural no País e marca a entrada da companhia nesse mercado no Brasil. “A aquisição possibilita rápido crescimento no País com novas fontes de receitas em uma nova linha de negócios, garantindo a sustentabilidade do grupo no longo prazo”, disse Maurício Bähr, presidente da Engie Brasil.

Leia mais em: https://economia.estadao.com.br/noticias/negocios,petrobras-tem-

 

Safra é encerrada com produção recorde de etanol, por Agroanalysis/FGV

 

A Moagem de cana-de-açúcar da safra 2018/19 está encerrada nas duas macrorregiões produtoras do Brasil, o Centro-Sul e o Norte-Nordeste. A safra oficial na região Centro-Sul terminou em 31 de março de 2019. Já o Norte-Nordeste, com a moagem também encerrada, entra no período de entressafra, que perdura até 31 de agosto. A comparação dos volumes produzidos na safra 2018/19 àqueles observados na safra anterior é reveladora. Nacionalmente, a safra 2018/19 apresentou uma redução na oferta de ATR de 2,1%, passando de 87,15 milhões de toneladas, em 2017/18, para 85,31 milhões de toneladas. A moagem de cana caiu 3,2%, passando de 641,1 milhões de toneladas, em 2017/18, para 620,71 milhões de toneladas. A produção de açúcar foi reduzida em 24,8%, atin- gindo 29,02 milhões de toneladas, e a produção de etanol foi elevada em 18,8%, com um recorde de 33,09 bilhões de litros, sendo 12,8% de redução no anidro e 40,5% de aumento no etanol hidratado. O mix para açúcar caiu 10,8%, e o rendimento industrial subiu 1,1%.

Leia mais em: https://www.noticiasagricolas.com.br/noticias/agroanalysis/237144

 

ANP publica segunda resolução sobre o RenovaBio

 

A ANP publicou hoje (14/6) a Resolução nº 791/2019, que trata de critérios da individualização das metas de descarbonização para os distribuidores de combustíveis no âmbito do Renovabio. Trata-se da segunda resolução sobre o RenovaBio publicada pela ANP, concluindo assim a regulação atribuída à Agência pelo Decreto nº 9.308/2018. A norma regulamenta o rateio entre os distribuidores de combustíveis das metas de descarbonização nacionais, definidas por resolução do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE). O cálculo dessas metas individuais, quantificadas em Créditos de Descarbonização (CBIOs), será feito proporcionalmente à emissão de gases de efeito estufa dos combustíveis fósseis comercializados pelo distribuidor no ano anterior. A Lei 13.576, de 2017, que criou o RenovaBio, combinada, quando for o caso, com a Lei n° 9.847, de 1999, prevê sanções aplicáveis a eventuais descumprimentos das referidas metas. Fonte: Imprensa ANP.

 

Petrobras reduz preço do diesel em 4,6% e acaba com periodicidade para reajustes

 

A Petrobras anunciou nesta quarta-feira (12) uma redução de 4,6% no preço médio do diesel em suas refinarias, para R$ 2,0664 por litro, a partir de quinta-feira (13), e simultaneamente informou uma revisão em suas regras sobre periodicidade das mudanças de preços. "A partir de agora, os reajustes de preços de diesel e gasolina serão realizados sem periodicidade definida, de acordo com as condições de mercado e da análise do ambiente externo, possibilitando a companhia competir de maneira mais eficiente e flexível", afirmou a empresa em nota. Após idas e vindas sobre a sua política de preços, cuja periodicidade no passado chegou a ser quase diária, a Petrobras definiu em março que os valores do diesel não poderiam ser alterados em intervalos inferiores a 15 dias, em meio a pressões de caminhoneiros. Já a gasolina, pela última política, não poderia ter o preço mantido por mais de 15 dias, prazo que levava em conta um mecanismo de hedge adotado pela estatal. A redução no preço do diesel ocorre em meio a uma queda nos preços do petróleo e a um real mais forte frente ao dólar, fatores que interferem na decisão da Petrobras.

Leia mais em: https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/06/12/petrobras-reduz

 

Volkswagen recria anúncio retrô do Fusca para campanha da nova Kombi elétrica

 

Desde 2017 que especulações a respeito da retomada da fabricação da Kombi pela Volkswagen vêm causando furor não só no mercado automobilístico como dentre os amantes do design. Ícone do estilo vintage que marcava automóveis no passado e levanta paixões até hoje, o que era uma hipótese enfim se tornou fato: através de um anúncio que que homenageia as propagandas do passado, em específico dos fuscas, a Volkswagen finalmente lançou ao mercado a nova Kombi – com um detalhe contemporâneo e ecologicamente correto fundamental: a nova Kombi será totalmente elétrica. Intitulada Rebirth, ou Renascimento, a campanha emula um antigo anúncio do fusca, e foi lançada no último dia 5, durante uma partida das finais da NBA de 2019. Até a trilha sonora do vídeo de lançamento da campanha é vintage e icônica: The Sounds Of Silence, clássica canção da dupla Simon & Garfunkel.

Leia mais em: https://www.hypeness.com.br/2019/06/volkswagen-recria-an

 

Etanol deve ficar mais barato com venda direta da usina para o posto

 

Depois de várias altas seguidas dos preços de combustíveis, o etanol poderá ter seu preço reduzido e valer mais do que a gasolina. Isso porque o CNPE (Conselho Nacional de Política Energética), vinculado ao Ministério de Minas e Energia, pretende fomentar o livre comércio a fim de reduzir preços e atrair investimentos. Depois da aprovação da medida, na última semana, alguns órgãos do governo deverão agir de modo conjunto para viabilização do projeto em 180 dias. O Ministério da Economia, por exemplo, precisará alterar a arrecadação de impostos, já que a grande parcela, como ICMS, PIS e Confins vão diretamente para os cofres das distribuidoras.

Fonte: https://revistaautoesporte.globo.com/Noticias/noticia/2019/06

 

 

ALTA RODA

Fernando Calmon

 

Fernando Calmon é engenheiro e jornalista especializado no setor automobilístico desde 1967, quando produziu e apresentou o programa 'Grand Prix' na TV Tupi, no ar até 1980. Dirigiu a revista AutoEsporte por 12 anos e foi editor de automóveis das revistas O Cruzeiro e Manchete. Entre 1985 e 1994, produziu e apresentou o programa 'Primeira Fila' em cinco redes de TV. A coluna Alta Roda, criada em 1999, é publicada semanalmente na internet. Calmon também atua como consultor em assuntos técnicos e de mercado na área automobilística, e como correspondente para o Mercosul do site inglês just-auto. E-mail: fernando@calmon.jor.br e www.twitter.com/fernandocalmon

 

Intervencionismo atrapalha

 

Governos, com certa frequência, mais prejudicam do que ajudam em assuntos envolvendo a indústria automobilística, por si só bastante complexa por sua extensa cadeia produtiva e os próprios riscos do negócio. Há exemplos agora na França – fusão FCA-Renault – e no Brasil – mudanças no Código de Trânsito.

 

O bem articulado plano de fusão dos grupos ítalo-americano e francês esbarrou em exigências nada racionais do governo francês, como previsto nessa Coluna. FCA simplesmente retirou sua oferta e deixou os políticos falando sozinhos, após exigências descabidas como manter a sede na França ou garantia absoluta de empregos. Nissan, por sua vez, defendeu maior influência sobre decisões dentro da aliança de duas décadas com a Renault.

 

A posição brusca da FCA não significa que tudo terminou. O governo da França baixou o tom. Admite diminuir de 15% para 7,5% sua participação (com poder de veto) na Renault e também acena para um papel maior da Nissan que se diz prejudicada por ser, ultimamente, maior que a Renault em produção e resultados. O imbróglio não está fácil de resolver. O negócio ainda pode sair, sem se tornar uma novela por meses.

 

Aqui, mudanças por projeto de lei do Código de Trânsito Brasileiro provocam muita polêmica. Quem decidirá é o Congresso, sem prazo. Ninguém desconhece a importância dos banquinhos infantis para segurança das crianças. O Governo Federal sugere trocar a multa por advertência escrita, porém os pontos continuariam a ser lançados no prontuário do motorista. Essa advertência, se bem redigida e com fotos de teste de colisão para maior dramaticidade, tem grande efeito educativo. No entanto, deveria valer, quando muito, apenas para a primeira infração. Mesmo a multa deveria vir acompanhada da advertência.

 

Hoje táxis, veículos escolares e carros de aplicativos registrados (considerados de aluguel) não são multados na ausência de dispositivos de retenção. Em outros países isso também levou a grandes discussões. A fiscalização enfrenta percalços por envolver a idade das crianças e até certidões de nascimento.

 

Descrição: http://planetcarsz.com/assets/uploads/VOLKSWAGEN%20JETTA%20GLI%20MEXICO%202016%2011.jpg

 

Quanto ao aumento de 20 para 40 pontos na apreensão da carteira, o meio-termo talvez fosse ideal: 30 pontos. Recentemente o tempo mínimo de suspensão foi aumentado de um mês para seis meses. Então não parece descabido elevar o limite de pontos, já que também o valor das multas sofreu forte correção. É pouco válido comparação entre países sem saber o critério utilizado de graduação de pontos. O sistema alemão parece racional ao estabelecer advertência por escrito, quando a pontuação do motorista está próxima ao limite.

 

Essa discussão estéril sobre “indústria da multa” parece ignorar que a arrecadação é tão elevada que já faz parte do orçamento de muitas prefeituras. Há quem defenda fiscalizar a fiscalização para evitar abusos, argumento risível.

 

Em um ponto, porém, o governo acertou: faróis acesos de dia só em rodovias de pista dupla, se aprovado pelos congressistas. Mesmo neste caso é um equívoco, com mais desvantagens do que vantagens. EUA têm a maior frota do mundo e lá nunca foi obrigatório, depois de vários estudos. O correto, como previsto agora, são luzes de uso diurno (DLR, em inglês) e um prazo de instalação nas fábricas.

 

Aumentar a validade da CNH de cinco para dez anos também é adequado.

 

RODA VIVA

 

ANFAVEA revisará para baixo sua previsão de exportações (em razão da forte queda de vendas na Argentina), o que também atingirá a produção em 2019. Fabricantes cortaram vagas ou deram férias, mas o crescimento do mercado interno continua firme: 12,5%. Isso ainda garantirá números de produção maiores em relação a 2018.

 

QUEM ainda duvidava do acerto do programa Rota 2030, melhor ficar mudo. Já se habilitaram 32 empresas entre fabricantes de veículos e de autopeças. Agrale, PSA e VW foram as primeiras, ainda em dezembro de 2018. FCA, GM e Renault mais recentemente. Todas investirão aqui em pesquisa e desenvolvimento. Nenhuma marca oriental ainda aderiu.

 

JETTA GLI com mesmo motor do Golf GTI, 230 cv/35,7 kgfm, foi lançado agora por R$ 144.490. O mexicano tem preço inferior ao hatch produzido no Paraná; surpreende por também ser fracionalmente mais rápido e veloz, apesar de maior massa. Trata-se de um sedã muito prazeroso de dirigir, ótimo porta-malas (510 litros) e bem equipado.

 

DEPOIS de pequenos ajustes de preço, o Honda WR-V tornou-se razoavelmente competitivo. Derivação aventureira mais extensa do Fit, destaca-se pela suspensão robusta e reações previsíveis mesmo com altura de rodagem maior. Estilo na parte traseira algo exagerado. Câmbio CVT precisa ser usado na posição “S” frequentemente para diminuir letargia de respostas.

 

ASSOCIAÇÃO Brasileira de Engenharia Automotiva (sigla AEA) acaba de completar 35 anos. Por meio de seminários e premiações (este ano organizou a 13ª edição dedicada ao meio ambiente) colaborou para vários avanços tecnológicos do País. É mantida por 81 empresas, instituições governamentais e universidades, sempre em equilíbrio.

Ex