Logo Posto Hoje

INFORMAÇÃO E SERVIÇOS PARA POSTOS DE COMBUSTÍVEIS

POSTO HOJE É ENVIADA SEMANALMENTE A DIRIGENTES DE POSTOS DE COMBUSTÍVEIS E LOJAS DE CONVENIÊNCIA

11/07/18

 

Tributação é alvo de setor de combustíveis em consulta pública da ANP

 

O sistema tributário dos combustíveis é um dos alvos de empresas do setor e da própria Petrobras na consulta pública da ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis) sobre a periodicidade dos reajustes da gasolina. O prazo de entrega das contribuições se encerrou na segunda-feira (2), mas as sugestões ainda não foram divulgadas pela ANP. A Folha apurou que Petrobras, distribuidoras de gás de cozinha e sindicatos de petroleiros citam os impostos em suas sugestões. A ANP recebeu 179 contribuições de 115 entidades. A Petrobras evitou fazer sugestões sobre prazos, optando por uma análise estrutural do setor na qual aponta a revisão do modelo tributário como solução de longo prazo. O tema já vem sendo discutido com os estados, mas enfrenta resistência por reduzir autonomia na gestão da arrecadação.

Leia mais em: https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2018/07/tributacao-e-alvo

 

Petrobras e Total podem criar empresa para investir em energia renovável

 

A Petrobras e a petroleira francesa Total vão analisar possíveis oportunidades em energia renovável e poderão criar uma nova empresa em conjunto para explorar esses negócios, com foco em projetos de geração solar e parques eólicos em terra (onshore), disse um executivo da estatal brasileira na terça-feira. O anúncio acontece em um momento em que diversas empresas de óleo e gás buscam ampliar a participação em fontes renováveis devido a uma esperada transição rumo a um futuro que deve privilegiar tecnologias com baixas emissões de carbono. A própria Petrobras deverá dar “mais atenção” a essa transição energética em seu Plano de Negócios para o período 2019-2023, atualmente em fase de desenvolvimento, afirmou o diretor de Estratégia da empresa, Nelson Silva, em teleconferência com jornalistas sobre a parceria.

Leia mais em: https://exame.abril.com.br/negocios/petrobras-e-total-podem-criar

 

ANP disponibiliza sistema de consulta de preços informados pelos postos de combustíveis

 

Agência Nacional do Petróleo, do Gás Natural e dos Biocombustíveis (ANP) disponibilizou nesta quarta-feira (11) a consulta dos preços dos combustíveis informados pelos postos. É possível consultar os valores cobrados nas bombas pelo site da agência. O sistema, que ganhou o nome de Infopreço, está disponível desde o dia 20 de junho para que os postos cadastrem, voluntariamente, os preços cobrados pela gasolina, etanol, diesel S-10, diesel S-500 e gás natural veicular.  “O formato em dados abertos possibilita que desenvolvedores utilizem as informações divulgadas para a criação de outros serviços de interesse público”, informou em nota a ANP, acrescentando que os dados são atualizados diariamente. A agência diz ainda que o objetivo do sistema “é dar à sociedade mais uma opção para consulta dos preços dos combustíveis”.

Leia mais em: https://g1.globo.com/economia/noticia/anp-disponibiliza-sistema-de

 

Ipiranga cria domínio personalizado para site institucional

 

A rede de postos de combustíveis Ipiranga lançou seu novo endereço para o site institucional: https://portal.ipiranga. A implementação do novo domínio, que se iniciou no fim do ano passado e levou três anos para ser concluída, passou pelo processo de aprovação da ICANN (Internet Corporation for Assigned Names and Numbers). A adoção de uma extensão própria na internet confere à empresa controle total sobre os seus nomes de domínio, o que resulta em mais segurança para os sites vinculados à marca e para os próprios consumidores. Além de permitir novos monitoramentos e uma gestão centralizada da presença digital da marca, outro foco da Ipiranga é que o novo domínio traga mais confiança ao consumidor que, ao acessar um endereço terminado em “.ipiranga”, pode ter a certeza de que ele provêm da empresa.

Leia mais em: http://computerworld.com.br/ipiranga-cria-dominio-personalizado-pa

 

Oferta de etanol no país pode dobrar até 2030 com investimento e RenovaBio

 

A capacidade de oferta de etanol no Brasil pode dobrar até 2030, impulsionada pela ampliação de investimentos no setor e pela entrada em vigor do RenovaBio, um programa do governo para descarbonizar o mercado nacional de combustíveis, mostra um estudo da Empresa de Pesquisa Energética (EPE) repassado à Reuters. Na pesquisa, a EPE analisou três cenários para a oferta de etanol no Brasil nos próximos 12 anos: baixa, média e alta. O horizonte mais otimista prevê uma elevação na capacidade de oferta para 54 bilhões de litros de etanol em 2030, de cerca de 27 bilhões atualmente. No cenário de oferta média, o volume seria de 49 bilhões de litros, enquanto na perspectiva mais conservadora, de 43 bilhões de litros. “A evolução do RenovaBio vai ser determinante para definir qual cenário se concretizará para o setor sucroenergético brasileiro”, disse à Reuters o diretor da área de petróleo, gás e biocombustíveis da EPE, José Mauro Coelho. Para fazer as projeções, a EPE considerou um cenário de crescimento econômico de 2,5 a 3 por cento ao ano até 2030.

Leia mais em: https://exame.abril.com.br/economia/oferta-de-etanol-no-pais-pode

 

 

ALTA RODA

Fernando Calmon

 

Fernando Calmon é engenheiro e jornalista especializado no setor automobilístico desde 1967, quando produziu e apresentou o programa 'Grand Prix' na TV Tupi, no ar até 1980. Dirigiu a revista AutoEsporte por 12 anos e foi editor de automóveis das revistas O Cruzeiro e Manchete. Entre 1985 e 1994, produziu e apresentou o programa 'Primeira Fila' em cinco redes de TV. A coluna Alta Roda, criada em 1999, é publicada semanalmente na internet. Calmon também atua como consultor em assuntos técnicos e de mercado na área automobilística, e como correspondente para o Mercosul do site inglês just-auto. E-mail: fernando@calmon.jor.br e www.twitter.com/fernandocalmon

 

Olhar sobre o futuro

 

Uma jornada e tanto. Desde 5 de maio de 1999 esta coluna completa agora 1.000 edições semanais consecutivas. Para seguir a tendência das mídias impressas e digitais, o nome do colunista passa a encimar a coluna. Alta Roda a partir de agora identifica notícias curtas e relevantes que seguem abaixo.

 

Para essa edição comemorativa foi feito um estudo sobre lançamentos até 2022. As três principais marcas, por exemplo, sinalizam apenas a quantidade e têm critérios diferentes sobre “novidades”. A indústria automobilística costuma apresentar gerações novas de modelos entre seis e oito anos e uma reciclagem de meia vida a cada três ou quatro anos. Segue uma projeção por sondagens e experiências anteriores. Sujeita, obviamente, a imprecisões por se tratar de segredos a sete chaves.

 

Chevrolet: previstos 20 produtos. Renovação da atual linha: 13 modelos, incluídos Camaro cupê/conversível e Cruze hatch/sedã. Completados por crossover Onix; SUV base Onix (abaixo do Tracker); SUV base Cobalt (entre Tracker e Equinox); dois SUVs 7-lugares; picape entre Montana e S10 (base Cobalt) e Bolt (elétrico). Novo Blazer poderá ser o 21º veículo.

 

Volkswagen já lançou seis de 20 novidades até 2020: Amarok V-6, Polo, Virtus, Tiguan, Golf e Variant. Seguem Gol e Voyage com câmbio automático, Jetta, Polo GTS e Virtus GTS ainda em 2018. Depois, T-Cross (SUV base Virtus), Tarek (SUV base Jetta), crossover (base Polo), picape intermediária (maior que Saveiro), nova Saveiro, novo up! e o sucessor do Gol. Importados: Atlas (EUA) e Passat (Alemanha). Nova geração da Amarok (não muda desde 2010) ampliará a lista para 21 modelos.

 

Descrição: C:\Users\Computer\AppData\Local\Microsoft\Windows\Temporary Internet Files\Content.Word\T-Cross_Sketch.jpg

 

FCA: prevê 15 produtos Fiat. Além da renovação de Mobi, Uno, Argo, Cronos e Toro, haverá crossover (base Mobi), SUV (base Argo) e SUV 7-lugares (base Compass). Novas gerações de Strada e Fiorino. Versões com motores turbo e câmbios automáticos completam a gama. Jeep serão 10: Renegade e Compass atualizados e Compass 7-lugares. O restante, importado: Wrangler (e sua versão picape), Cherokee/Grand Cherokee e Wagoner/Grand Wagoner, além do “baby” Jeep (menor que Renegade). RAM terá picape média para 1.000 kg (porte da antiga Dakota) e uma maior.

 

Ford: não antecipa planos para cinco anos. Garante que terá três lançamentos em 2019. Estes poderiam ser Ranger (facelift), Edge (facelift) e Mustang conversível. Novas gerações de Ka e Ka sedã, EcoSport (2020) e nova Ranger (2022) são previstas.

 

Toyota tem dois ciclos: meia-vida três anos e renovação a cada seis. Nova geração Corolla confirmada para 2019. Além de renovação de Etios, Yaris, RAV4, Camry, Hilux e SW4, projeta para 2022 um SUV com base no Yaris e um possível crossover (base Etios). Nissan ainda está em fase de planejamento e estuda os segmentos em vai atuar ou mesmo abrir mão. Honda não vislumbra novos segmentos de atuação: segue ciclos semelhantes à Toyota.

 

Renault começa por renovar o Duster em 2019 e os demais modelos em ciclos de quatro e sete anos. Um novo crossover SUV/cupê é considerado certo para produção no Brasil (acima do Captur e mirando no Compass). Koleos volta a figurar entre os importados.

 

Descrição: C:\Users\Computer\AppData\Local\Microsoft\Windows\Temporary Internet Files\Content.Word\_Renault_C-segment_crossover.jpg

 

A também francesa PSA vai se reinventar. Serão 16 produtos novos (incluídos comerciais leves), produzidos no Brasil e Argentina, até 2024. Começa com Citroën C4 Cactus no começo de setembro. Peugeot 208, 2008, 308, além de C3 e C4 Lounge terão novas gerações com uma única arquitetura modular conhecida como CMP. E também haverá uma picape média Peugeot para 1 tonelada de arquitetura convencional.

 

RODA VIVA

 

PROGRAMA Rota 2030 começa a superar um impasse na reta final. Procuradoria Geral do Ministério da Fazenda (PGMF) apontou a impossibilidade legal de conceder incentivo fiscal para fabricantes que conseguirem superar a meta de eficiência energética a cada cinco anos. Novas negociações e uma solução: só modelos acima do padrão obrigatório terão direito ao benefício.

INICIALMENTE, havia a interpretação de que inviabilizaria um ponto relevante do Rota 2030: estimular investimentos em pesquisa no País. Mas o enquadramento por modelo pode chegar aos mesmos resultados, sem obstáculos jurídicos, pois todos terão de cumprir a meta mínima sem incentivos. É provável que até o fim deste mês o programa possa, afinal, ser anunciado.

 

SISTEMA de chassi 100% ativo, que a ZF acaba de anunciar na Europa, pode se transformar em grande facilitador para adoção de direção autônoma. Suspensões convencionais não lidam com pisos irregulares sem exigir atuação do motorista. Tal recurso é preditivo e deixa a carroceria livre de quaisquer oscilações. Resta discutir os custos.

 

RESSALVAS: apenas no mês de novembro próximo a Toyota pretende iniciar o terceiro turno de produção em Sorocaba, se o mercado confirmar a tendência de recuperação. Quanto ao Golf e à station Variant, apesar de lançados no mês passado, são modelos 2018 e não 2019, como costuma ser a regra. Há casos, porém, de outros veículos em mercado três ou quatro meses antes, que já são modelos 2019.

Ex